Como utilizar adequadamente o espaço da sua marcenaria

Você sabe como aproveitar os espaços de sua marcenaria adequadamente?

É necessário criar um fluxo de uso de máquinas ou de mão de obra para melhor desempenho? Quais equipamentos são indispensáveis?

A melhor utilização do espaço e dos recursos disponíveis resulta na máxima eficiência do método produtivo e na redução dos custos de produção.

Layout adequado

Se o objetivo for produzir móveis sob medida, você deverá criar um fluxo dentro de sua marcenaria que propicie a melhor circulação entre bancadas e equipamentos.

Equipamentos importantes em sua marcenaria

Três máquinas estacionárias podem atender suas necessidades básicas: serra esquadrejadeira; coladeira de borda manual e furadeira de bancada.

Além disso, é importante que o marceneiro possua um compressor de ar compatível com a necessidade da marcenaria, que pode ser usado tanto para limpeza do ambiente quanto dos equipamentos.

Equipamentos de apoio também são essenciais, sendo eles: furadeira, parafusadeira à bateria, tico-tico e, é claro, uma lixadeira orbital.

 

Disposição dos equipamentos

O mais indicado é que seja feito o corte do material no fundo do espaço e que o móvel siga seu fluxo no sentido da porta ou expedição, desta forma, é viabiliza o carregamento na saída do móvel e também diminui a movimentação destas peças dentro da marcenaria.

Ambientação

Iluminação clara, favorável e piso áspero para evitar acidentes sobre o pó da madeira. Além, é claro, de portas de acesso que sejam amplas para a entrada e saída de materiais e pé direito acima de 2,60cm.

Vale ressaltar que é importante que a sua marcenaria esteja sempre protegida e conte com extintores de incêndio, em caso de acidentes.

Marceneiros iniciantes: 6 dicas para os primeiros passos

A cada dia cresce o número de pessoas que encontraram na marcenaria um hobby perfeito para estimular a criatividade mental, reduzir o estresse e aumentar o contentamento pessoal.

Contudo, grande parte destes “marceneiros por hobby” almejam fazer deste hobby uma profissão, mas a insegurança quanto aos custos e a dificuldade para começar neste negócio acabam tornando-se um empecilho.

Acontece que a realidade é bem diferente do que se imagina. Montar uma marcenaria não é difícil, e pode se tornar um negócio bastante rentável, desde que haja planejamento para que em sua criação não sejam demandados muitos custos.

Dessa forma, separamos 6 indispensáveis dicas para ajudar os marceneiros iniciantes em seu novo desafio. Confira:

1. Determinação, foco e força de vontade

Antes de começar qualquer atividade é preciso que seus pensamentos e toda sua energia estejam voltadas para tal. Todo negócio inicial exige muita dedicação para engrenar.

Sendo assim, tenha em mente que para otimizar o desempenho de seu novo negócio, você tenha em mente os requisitos básicos: determinação, foco e muita força de vontade.

No início, é normal que você sinta um pouco de insegurança, afinal, fabricar os móveis de outras pessoas exige responsabilidade e eficiência, mas fique tranquilo, a experiência se adquire na prática, o resultado é recompensador!

2. Uma boa fachada não é sinônimo de sucesso

Antes de iniciar, você deve ter em mente aonde sua marcenaria estará localizada. Você alugará um espaço? Ela ficará alocada na sua própria casa, na garagem, por exemplo?  

Antigamente as marcenarias eram localizadas nos grandes centros urbanos e próximas a quem contratava seu serviço. Hoje, as marcenarias concentram-se também nas zonas periféricas e sua divulgação é mais associada as buscas digitais do que a uma fachada.

3. Estrutura da sua marcenaria

O ambiente da sua marcenaria também é bastante importante, cuide das condições técnicas:

  • Garanta uma boa iluminação;
  • Rede elétrica que comporte suas ferramentas;
  • Boa circulação dos clientes e colaboradores (se for o caso);
  • Quantidade de tomadas compatível com seus equipamentos.

4. Ferramentas essenciais

Toda marcenaria depende de ferramentas para sair do lugar, não é mesmo? Para saber quais são os tipos de ferramentas necessárias, você deverá primeiramente definir qual será sua atuação principal. Você trabalhará com móveis, jardinagem, manutenções ou somente com peças de madeira?

Dessa forma, é possível definir uma lista completa de quais ferramentas são necessárias para marceneiros iniciantes.

Assim, pensando em móveis, estas são as 15 ferramentas necessárias para marceneiros iniciantes:

  • Furadeira;
  • Serras;
  • Arco de Serra;
  • Parafusadeira;
  • Trena;
  • Martelo;
  • Nível;
  • Chave de Fenda e Philips,
  • Jogo de Brocas
  • Régua de Aço
  • Graminho
  • Malho
  • Esquadro (de carpinteiro)
  • Plaina
  • Grampos

Essas ferramentas são muito fáceis de encontrar e tem um excelente custo benefício.

5. Preocupe-se Com a Matéria-prima

É importante que você nunca deixe sua matéria-prima faltar. A principal matéria-prima no ramo da marcenaria é o MDF, em seguida seus sucessores: laminados, compensados, placas, além dos acessórios como ferragens, químicos, fórmicas e outros vários produtos adicionais.

Sendo assim, antes de iniciar qualquer tipo de produção defina quais serão os seus fornecedores de matéria-prima. Escolha quais serão seus fornecedores e elabore um estoque mínimo por período, dessa forma você conseguirá gerir melhor seus produtos, além de evitar futuros imprevistos.

6. Necessidades complementares

Além das questões estruturais, ainda existem outros pontos que os marceneiros iniciantes devem considerar:

  • Marketing: O marketing é um dos detalhes mais importantes para alavancar suas vendas. De nada adianta produzir os melhores móveis, se o seu trabalho não for divulgado. Sendo assim, invista em uma boa produção de conteúdo e em uma divulgação melhor ainda!
  • Atendimento: O processo de produção envolve muito mais do que captar clientes, temos as questões do orçamento, confecção das peças, aprovação do projeto e entrega. É importante que todas as etapas aconteçam com perfeição. Então, se coloque sempre no lugar de seu cliente e forneça o melhor atendimento possível.
  • Mercado: Você conhece o seu mercado? Conhece quais as necessidades de seus clientes? É importante estar sempre com essas repostas atualizadas.
  • Relacionamento: É importante que o seu relacionamento com os clientes seja bastante estreito. Essa relação gera credibilidade e sobretudo amizade.

Gostou de nossas dicas? Está preparado para começar a montar seus próprios móveis? O que te impede de começar? Compartilhe suas sugestões e dificuldades aqui nos comentários.

Corrediças: conheça os principais modelos e variações

Escolher as corrediças corretas é essencial para o bom funcionamento de um móvel. Este tipo de ferragem, nem sempre reconhecido pelo cliente, irá agregar valor em seu projeto, bem como, irá influenciar na qualidade final do produto.

Utilizando a corrediça certa, seu móvel ficará bem estruturado oferecendo durabilidade, resistência e precisão, em suma, qualidades valiosas e muito analisadas, no pós-vendas pelos clientes.

Como identificar o modelo ideal?

Para identificar qual modelo é mais adequado a determinado tipo de projeto, avalie primeiramente:

  • Peso da gaveta;
  • Capacidade de carga da corrediça;
  • Dimensões;
  • Comprimento;
  • Tipo, estilo e o valor agregado que você queira proporcionar ao projeto.

Mas fique atento, pois é importante que a corrediça seja condizente com o projeto do móvel. No entanto, também é preciso avaliar quanto o cliente pode ou quer investir no uso desta ferragem.

Quando o preço é fator de maior relevância, a opção é o uso das corrediças leves brancas. Quando a relevância é a funcionalidade, a opção é pelo uso de corrediças com sistemas práticos, como slowmotion – para amortecimento no fechamento das gavetas – ou one touch – abertura com um só toque.

Principais modelos de corrediças disponíveis no mercado

1. Corrediça base branca (ou corrediça comum)

corrediça-base

Primeiramente tem o preço mais acessível, sendo frequentemente usada em móveis populares, assim como, quando há necessidade de redução de custos em um orçamento. Seu uso ideal é para gavetas pequenas e com pouco peso

2. Corrediça Telescópica

corredica-telescopica

A corrediça telescópica de abertura total do comprimento nominal oferece deslizamento suave com esferas de aço. É uma peça única de montagem lateral com trava para retirada da gaveta, uma segurança para quem tem crianças pequenas em casa. Este modelo tem as seguintes derivações:

  • Corrediça Telescópica com amortecedor: molas e pistão que promovem um fechamento muito mais suave
  • Corrediça Telescópica com abertura por toque: sistema de abertura automática (toque), dispensa o uso de puxador

3. Corrediça Invisível

corrediça-invisível

Diferente das corrediças de roldanas e telescópicas que são fixadas nas laterais das gavetas, a corrediça invisível é fixada na parte inferior do móvel, em sua base, de modo a não ficar aparente. Em síntese, é a corrediça que mais agrega valor ao móvel. Suas variações são:

  • Corrediça Invisível abertura total com amortecedor;
  • Corrediça Invisível abertura parcial com amortecedor;
  • Corrediça invisível abertura total com toque;
  • Corrediça invisível abertura parcial com toque;
  • Corrediça invisível abertura total com toque e amortecedor;
  • Corrediça invisível abertura parcial com toque e amortecedor.

Mais algumas dicas:

  • Utilize ferragens de acordo com as especificações técnicas do móvel e necessidades do cliente;
  • Tenha cuidado com medidas e capacidades;
  • Instale corretamente a ferragem, caso contrário ela pode não deslizar adequadamente;
  • Não economize nas ferragens, são elas que irão oferecer funcionalidade, estética e diferencial ao móvel. Leia também Ferragens que agregam valor ao projeto”. Ao utilizar uma corrediça adequada ao padrão do móvel, o ganho será na qualidade e na vida útil do produto, o que resulta no benefício maior: a satisfação plena de seu cliente.

E aí, gostou das minhas dicas? Deixe seu comentário aqui embaixo!

Abraços,

Marceneiro Leo. 

Ferragens: saiba como elas podem agregar valor ao seu projeto

Diferente do que muitos pensam, o uso de ferragens em um móvel sob medida, não encarece seu orçamento, e sim, valoriza seu projeto. Mas como inserir ferragens no orçamento sem ter prejuízo e sem assustar o cliente? E afinal de contas, o que são estas ferragens?

Ferragens podem ser as corrediças que fazem com que as gavetas deslizem suave e silenciosamente, ferragens são dobradiças que tornam um abre e fecha de portas mais seguro, ferragens são os aramados, que ajudam você na escolha de uma peça no armário.

Enfim, ferragens são o diferencial para um móvel sob medida.

No entanto, em um mercado onde a busca por preços mais baixos é constante, será que todos entendem que vale a pena investir na funcionalidade destes materiais?

Se você quer oferecer a seu cliente um móvel diferenciado, com qualidade, funcionalidade, segurança e durabilidade, a resposta para esta pergunta é sim. Vale a pena investir no uso de ferragens.

Ferragens aliam design à funcionalidade, ou seja, viabilizam o uso daquele projeto com desenho moderno e exclusivo.

De que forma isso acontece?

O mercado está repleto de opções de acessórios para móveis. Você tem de corrediças mais simples, ao modelo invisível com amortecedor.

A questão é que seu cliente desconhece os benefícios que estes produtos oferecem. Sendo assim, cabe a você, marceneiro, apresentar a funcionalidade, qualidade e benefícios de cada um destes acessórios.

Só desta forma, seu cliente irá valorizar um orçamento com ferragens incluídas. Se ele estiver convencido que o investimento em uma corrediça invisível com amortecedor deixará seu móvel mais bonito e seguro, pois a gaveta se fechará de forma suave e silenciosa, com certeza irá investir um pouco a mais por isso.

Sendo assim, a dica é “Conheça exatamente as funcionalidades de cada ferragem disponível no mercado e ofereça a seu cliente”. Apresente o custo x benefício de cada uma delas e mostre uso adequado ao tipo de funcionamento do móvel.

Agindo desta forma, você irá sair na frente perante o mercado. 

Tipos de Ferragens

Ferragens técnicas

ferragens-tecnicas

• Dobradiças: da mais tradicional até as dobradiças com amortecedor, que possibilitam um fechamento mais suave das portas;
• Corrediças: Assim como as dobradiças, existem as tradicionais, as invisíveis, com amortecedores e as telescópicas. A escolha pelo modelo ideal, irá depender das necessidades de seu cliente e da exigência do projeto que está desenvolvendo;
• Pistões;
• Articuladores;
• Perfis;
• Sistemas de porta de correr.

Ferragens decorativas

ferragem-decorativa

• Aramados – cabideiro extensível, porta óleo, lixeira retrátil, fruteira, calceiros, gravateiros, sapateira, porta-cintos, cestos giratórios;
• Puxadores;
• Rodízios.

Os profissionais que oferecem aos seus clientes ferragens de qualidade se destacam perante a concorrência e ganham no pós-vendas, pois evitarão problemas recorrentes por mau funcionamento e/ou falta de qualidade. Veja também “Corrediças: conheça os principais modelos e variações

O resultado de tudo isto: cliente satisfeito, cliente fiel!

Conte para mim um pouco de sua experiência. Você oferece ferragens para seus clientes? Suas sugestões são bem aceitas?

Abraços,

Marceneiro Leo. 

10 Dicas para formação de preço de venda

Antes de mais nada, é fato que saber orçar um projeto de marcenaria e criar um bom preço de venda, pode significar estabilidade, crescimento e posicionamento no mercado. Da mesma forma que, por outro lado, um pequeno descuido perde-se o capital de giro e a empresa começa a declinar.

É fato também, que o exagero pode causar a perda do trabalho, por outro lado, cortar em excesso pode gerar prejuízo.

Desta forma… Qual será o caminho certo?

Confira abaixo 10 dicas para construir um bom orçamento.

1. Entenda bem de seu negócio e crie preços de vendas adequados

Antes de mais nada, o profissional de marcenaria precisa estar antenado com tendências de mercado, novos produtos, lançamentos e eventos que agreguem informações em seu segmento, como, por exemplo, a Formóbile – Internacional da Indústria de Móveis e Madeira, a principal feira da indústria moveleira, que acontece de 10 a 13 de julho de 2018, em São Paulo. Sabendo das novidades é mais fácil você prever sua planilha com os preços de venda.

2. Entenda as necessidades de seu cliente

Trabalhamos com projetos personalizados e sob medida, cada cliente é um cliente. Dessa forma, antes de passar o preço de venda, entenda realmente seus desejos, possibilidades e quanto ele pretende investir, em síntese, conheça bem seus clientes.

3. Pense em valores justos

Faça os cálculos com a certeza de um valor justo, que não gere pouco lucro e que não seja muito alto, dessa forma, será mais assertivo.

4. Avalie materiais

Avalie os materiais

Avalie cuidadosamente os custos dos materiais aplicados, desde o prego ao acabamento. Este é um quesito que influenciará diretamente no preço de venda de seu móvel.

5. Atente-se com os custos de mão de obra

Custo com mão-de-obra

Tenha planilhado o custo de sua mão de obra: folha de pagamento, número de profissionais, horas dedicadas na confecção do móvel, enfim, entre outras despesas.

6. Relacione todas as despesas fixas de sua empresa

Despesas fixas

 

  • Pró-labore – remuneração do trabalho realizado pelo sócio/profissional
  • Encargos sociais
  • Salários administrativos
  • Despesas bancárias
  • Seguro
  • Telefone, água e luz
  • Marketing – divulgação da empresa
  • Despesas operacionais
  • Honorários Contábeis
  • Impostos
  • Aluguel

7. Feche o valor de frete e inclua no preço de venda

Valor do Frete

Adeque no orçamento valores com fretes, serviços terceirizados, gastos com instalação. Estes itens deverão estar contabilizados no preço de venda que você passará para seu cliente e, dessa forma, você não terá prejuízos com valores cobrados a parte.

8. Monitore o estoque

Atente-se para o Giro de Estoques, ou seja, o quanto tempo as mercadorias ficam estocadas sem serem vendidas. A velocidade com que os estoques se renovam pode contribuir com a saúde financeira da operação.

9. Defina do lucro

Pronto. Com estas informações relacionadas, chega enfim, o momento de definir o lucro desejado. Dessa forma, podemos dizer que o lucro é a ‘sobra’ das vendas, menos o custo das mercadorias vendidas, menos as despesas variáveis e menos as despesas fixas. Enfim, agora é só se organizar.

10. Se organize!

Clique aqui para baixar um sugestão de planilha de custo. Dessa forma, você terá uma visão mais ampla de valores e aplicar descontos que poderão ser concedidos ao cliente. Em síntese obter um valor justo, sem acarretar prejuízo em seus negócios.

Enfim. Agora é só negociar. Em um mercado competitivo, o bom senso e a parceria são pontos a ser considerados para conquistar e fidelizar um cliente.

Abraços,

Marceneiro Leo. 

[DISPLAY_ULTIMATE_PLUS]

 

Arquitetos e Marceneiros: entenda as vantagens dessa parceria

arquitetos e marceneiros

Para garantir a excelência de um projeto, ter bons profissionais é essencial, ainda mais quando falamos de arquitetos e marceneiros.

Quando o trabalho de um marceneiro se une ao de um arquiteto, quem ganha com essa relação é o cliente.

Isso acontece porque o marceneiro é técnico e prático, enquanto o arquiteto se volta mais para design e estética.

Tendo isso em mente, neste post irei falar sobre a importância da relação entre marceneiros e arquitetos, quais são as vantagens dessa parceria e como consolidá-la.

Confira!

Arquitetos e Marceneiros

Como ambos os profissionais têm visões diferentes ao trabalharem em um mesmo projeto, em algumas situações pode haver falta de alinhamento.

Por exemplo, enquanto o arquiteto pensa na estética do projeto esquecendo da logística de montagem, o marceneiro possui olhar técnico. Este tipo de visão pode não ser o ideal para o projeto.

Sendo assim, conseguimos entender que unir o trabalho desses dois profissionais, com certeza, pode garantir um projeto de qualidade, não é mesmo? Mas antes de mais nada, é preciso sempre que haja alinhamentos entre as duas partes.

Com essa relação consolidada, é possível avançar para uma parceria e não só indicação de marceneiros por parte dos arquitetos.

Isso irá resultar em um benefício para o cliente, que é efetuar uma única “compra”.

Quais são os benefícios dessa parceria?

Agora iremos citar algumas das principais vantagens resultantes de uma boa parceria entre arquitetos e marceneiros:

· Menor tempo para apresentar orçamentos

Cuidando de um projeto sozinho, o arquiteto precisa lidar com fornecedores para apresentar o orçamento, exigindo mais tempo do profissional.

Trabalhando juntamente com o marceneiro, isso acontece rapidamente, pois os profissionais analisam os aspectos do projeto e montam uma única proposta.

Isso, definitivamente, torna a experiência do cliente mais rápida e agradável.

· Mais segurança para o projeto

Em um projeto tocado em conjunto por um arquiteto e um marceneiro, a segurança com certeza é garantida. Isso porque, estando alinhados, a produção do projeto é mais rápida e o melhor de tudo: os desperdícios por algum eventual erro podem ser evitados.

· Menor prazo de entrega

Quando alinhados na sua comunicação, arquiteto e marceneiro podem reduzir o tempo de entrega de um projeto.

Isso acontece porque enquanto o arquiteto organiza toda o layout da marcenaria, a execução disso e quais materiais serão utilizados, o marceneiro já confere as medidas finais do projeto e inicia a produção.

· O fortalecimento da relação

Entendo com esse post que saber trabalhar em conjunto e alinhados pode ser muito vantajoso para marceneiros, arquitetos e clientes. Isso é fato.

Estabelecer uma boa comunicação e criar um sistema que ajude na eficiência do projeto, por outro lado, é essencial para que o resultado seja rápido e de qualidade.

Dessa forma, é muito importante ter sempre registrado tudo o que for decidido sobre o projeto, em caso de possível alteração. Agindo dessa forma, arquitetos e marceneiros têm tudo para estabelecerem parcerias fortes e duradouras!

E você, marceneiro? O que pensa sobre a relação com os arquitetos? Deixe seu comentário aqui!

Abraços,

Marceneiro Leo. 

 

[DISPLAY_ULTIMATE_PLUS]

Marcenaria e as novas tecnologias: por quê é tão importante se atualizar?

Você já parou para pensar qual é a relação entre a marcenaria e as novas tecnologias existentes hoje no mercado? Com o avanço da tecnologia, muitas profissões antigas e emblemáticas, como a do marceneiro, têm sofrido mudanças.

E para que o profissional da marcenaria não fique atrás do que existe de mais novo, é essencial buscar atualização! Isso o ajudará a acompanhar as demandas desse novo mercado e a agradar clientes, que estão cada dia mais exigentes.

Móveis inteligentes e personalizados

Créditos: Reprodução/Pinterest

Podemos observar como a tecnologia na marcenaria tem “invadido”, digamos assim, os nossos lares e inclusive os nossos móveis.

Em feiras e eventos da indústria de madeira e móveis, vejo lançamentos de mobiliários integrados com recursos tecnológicos, considerados tendência.

Hoje existem móveis inteligentes com sistema de áudio, dispensando uso de aparelhos de som convencionais, ideal para fãs de espaços minimalistas.

Além disso, existem opções de receptores Bluetooth e alto-falantes instalados em painéis de madeira, descartando a compra de home theater.

Uma coisa é fato: esses móveis inovadores e inteligentes vieram para ficar!

Portanto, se você, marceneiro, deseja apresentar projetos inovadores aos seus clientes, é preciso sair na frente! Para fazer isso, busque atualização constante e saiba o que existe de tendência no mundo afora.

Tecnologia de ponta na marcenaria

Um outro importante fator é que o marceneiro também entenda que hoje existem tecnologias capazes de auxiliar o seu trabalho.

Máquinas e ferramentas de ponta prometem otimizar na criação de projetos e proporcionar corte mais precisos e acabamentos perfeitos!

Além disso, softwares de criação são muito práticos para marceneiros e aplicativos podem ajudar nas atividades rotineiras.

Entender que o nosso mundo está cada vez mais tecnológico e usar isso para crescer na profissão é, sem dúvidas, uma realidade que não tem mais volta.

A importância da busca por atualização

Uma forma de se manter atualizado com o que há de novo no mundo da marcenaria e as novas tecnologias, evitando ficar para trás, é buscar atualização constante.

E de que forma isso pode ser feito, na prática?

Por meio de participação de cursos de atualização, parcerias, workshops, feiras e eventos da área da marcenaria, o marceneiro pode adquirir conhecimento para se manter em dia com o mercado de trabalho.

Os cursos de atualização podem ser muito úteis, principalmente para aqueles marceneiros que querem entender um pouco mais sobre a tecnologia na marcenaria.

Hoje existem cursos de atualização destinados para marceneiros que querem se especializar a aprender a trabalhar com softwares para a confecção de móveis e peças.

Workshops, feiras e eventos, por outro lado, são uma boa oportunidade de conhecer as tendências de mercado, além de promover um networking entre os profissionais do ramo.

Outra forma de fazer networking e garantir futuros projetos, são as parcerias com profissionais como arquitetos, engenheiros e decoradores.

E você, marceneiro? Quais são as suas formas de se manter atualizado junto ao mercado de trabalho? Deixe seu comentário aqui!

Abraços,

Marceneiro Leo. 

 

[DISPLAY_ULTIMATE_PLUS]