10 Dicas para formação de preço de venda

Antes de mais nada, é fato que saber orçar um projeto de marcenaria e criar um bom preço de venda, pode significar estabilidade, crescimento e posicionamento no mercado. Da mesma forma que, por outro lado, um pequeno descuido perde-se o capital de giro e a empresa começa a declinar.

É fato também, que o exagero pode causar a perda do trabalho, por outro lado, cortar em excesso pode gerar prejuízo.

Desta forma… Qual será o caminho certo?

Confira abaixo 10 dicas para construir um bom orçamento.

1. Entenda bem de seu negócio e crie preços de vendas adequados

Antes de mais nada, o profissional de marcenaria precisa estar antenado com tendências de mercado, novos produtos, lançamentos e eventos que agreguem informações em seu segmento, como, por exemplo, a Formóbile – Internacional da Indústria de Móveis e Madeira, a principal feira da indústria moveleira, que acontece de 10 a 13 de julho de 2018, em São Paulo. Sabendo das novidades é mais fácil você prever sua planilha com os preços de venda.

2. Entenda as necessidades de seu cliente

Trabalhamos com projetos personalizados e sob medida, cada cliente é um cliente. Dessa forma, antes de passar o preço de venda, entenda realmente seus desejos, possibilidades e quanto ele pretende investir, em síntese, conheça bem seus clientes.

3. Pense em valores justos

Faça os cálculos com a certeza de um valor justo, que não gere pouco lucro e que não seja muito alto, dessa forma, será mais assertivo.

4. Avalie materiais

Avalie os materiais

Avalie cuidadosamente os custos dos materiais aplicados, desde o prego ao acabamento. Este é um quesito que influenciará diretamente no preço de venda de seu móvel.

5. Atente-se com os custos de mão de obra

Custo com mão-de-obra

Tenha planilhado o custo de sua mão de obra: folha de pagamento, número de profissionais, horas dedicadas na confecção do móvel, enfim, entre outras despesas.

6. Relacione todas as despesas fixas de sua empresa

Despesas fixas

 

  • Pró-labore – remuneração do trabalho realizado pelo sócio/profissional
  • Encargos sociais
  • Salários administrativos
  • Despesas bancárias
  • Seguro
  • Telefone, água e luz
  • Marketing – divulgação da empresa
  • Despesas operacionais
  • Honorários Contábeis
  • Impostos
  • Aluguel

7. Feche o valor de frete e inclua no preço de venda

Valor do Frete

Adeque no orçamento valores com fretes, serviços terceirizados, gastos com instalação. Estes itens deverão estar contabilizados no preço de venda que você passará para seu cliente e, dessa forma, você não terá prejuízos com valores cobrados a parte.

8. Monitore o estoque

Atente-se para o Giro de Estoques, ou seja, o quanto tempo as mercadorias ficam estocadas sem serem vendidas. A velocidade com que os estoques se renovam pode contribuir com a saúde financeira da operação.

9. Defina do lucro

Pronto. Com estas informações relacionadas, chega enfim, o momento de definir o lucro desejado. Dessa forma, podemos dizer que o lucro é a ‘sobra’ das vendas, menos o custo das mercadorias vendidas, menos as despesas variáveis e menos as despesas fixas. Enfim, agora é só se organizar.

10. Se organize!

Clique aqui para baixar um sugestão de planilha de custo. Dessa forma, você terá uma visão mais ampla de valores e aplicar descontos que poderão ser concedidos ao cliente. Em síntese obter um valor justo, sem acarretar prejuízo em seus negócios.

Enfim. Agora é só negociar. Em um mercado competitivo, o bom senso e a parceria são pontos a ser considerados para conquistar e fidelizar um cliente.

Abraços,

Marceneiro Leo. 

[DISPLAY_ULTIMATE_PLUS]

 

Um comentário em “10 Dicas para formação de preço de venda

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.