Aprenda a fazer boneca com estopa para envernizar a madeira

Acabamento barato, fácil e de resultado surpreendente!

Confira o passo a passo de umas das técnicas mais eficazes para realizar o acabamento na madeira.

É engraçado o nome, mas para quem curti um bom acabamento, boneca é uma excelente técnica.

Afinal, um bom acabamento é fundamental para a valorização da peça.

É normal escutar, “Vou finalizar com boneca “, antes de pensar bobagens entenda como funciona:

Sabe aquele efeito que não deixa marcas de pincel na madeira, essa é a famosa boneca.

É um acabamento que agrega valor e deixa a peça lisinha e sem marcas de pincel.

Que tal prepararmos nossa própria boneca?

Vamos precisar apenas de:

  • Estopa;
  • Malha de algodão.

Com componentes simples e práticos podemos criar uma excelente solução, que faz total diferença no acabamento da peça.

Então agora mãos a obra:

  • Corte um pedaço quadrado de tecido em algodão
  • O tecido não precisa ser muito pequeno e nem muito grande
  • O tamanho do tecido está relacionado ao tamanho da boneca desejado

Coloque sobre o quadrado de tecido, uma quantidade de estopa relativa ao tamanho do algodão, por exemplo:

  • Tecido 30x30cm
  • Estopa dois punhados.

Envolva a estopa sobre o tecido de algodão.

Como se fosse um balão.

Aperte as pontas com um elástico ou barbante.

Como utilizar corretamente?

Lixe bem a madeira

Confira algumas dicas para realizar o lixamento:

Importante manter o tecido bem amarrado.

O formato vai lembrar a cabeça de uma boneca de pano, esta técnica é bem antiga e de forma simples ela oferece acabamento otimizado e fácil aplicação.

Mergulhe a cabeça da boneca no verniz

Aplique de maneira uniforme sobre a superficie da madeira

Após aplicar por toda a superficie, deixe secar.

Você vai se surpreender com o resultado.

Você utiliza esta técnica?

Como você tem realizado seus acabamentos?

Conte pra gente!

Dicas valiosas de como lixar a madeira: Utilize a lixa certa para cada etapa.

Qual lixa escolher e como utilizar?

Móveis perfeitos contam com um processo de produção e acabamento eficientes, e claro, a utilização da lixa certa.

Uma das etapas que impacta diretamente na percepção do acabamento está relacionada ao lixamento da madeira.

https://bit.ly/2MtNhWE

Gostaria de dividir com vocês algumas dicas acerca do lixamento da madeira e como utilizar as lixas.

O lixamento da madeira é imprescindível, acabamentos perfeitos só serão possíveis com processos eficientes.

Aparentemente parece um processo árduo e demorado, mas seguindo estas dicas você poderá poupar tempo nas etapas, obter maior organização e sem perder na qualidade.

Primeiro vamos entender como funciona o sistema de numeração das lixas.

Toda lixa tem uma numeração no verso, é a indicação do grão.

A medida que está numeração diminui, mais abrasiva ela é.

Logo, uma lixa com a numeração 150 é mais fina que uma de 60. Ou seja, quanto menor a numeração, mais grossa é a lixa.

Escolha a lixa correta:

Para iniciar o lixamento certifique-se que a superficie encontra-se sem óleo ou resíduos.

Comece com a lixa mais grossa.

Podemos seguir a seguinte regra para saber qual será a próxima lixa:

Número da lixa, mais a metade deste número –> 100+50=150

Se caso não existir o grão com o resultado na numeração, utilize a numeração mais próxima do resultado. Exemplo:

Se você começar com a lixa 100 suba para a 150, após (150+75= 225) 225 não existe, utilize a 220.

Lixamento

  • Lixa grossa primeiro (quando necessário);
  • Atente- se ao sentido dos veios da madeira, esse será o sentido em que o lixamento deverá acontecer;
  • Tenha um protótipo, o exemplo de resultado, uma foto, ou mesmo uma madeira, com o resultado que você deseja obter.
  • Lixe com leveza, é um trabalho artesanal, sem agressividade o resultado será muito melhor;
  • Mantenha o mesmo ritmo e também força em todo processo;
  • Para finalizar, utilize a lixa com a numeração maior, de acordo com o resultado que você deseja obter, por exemplo: A lixa 320 oferece uma superfície lisa e uniforme;  
  • Após o processo de lixamento, utilize a cera carnaúba, caso você for trabalhar com processo de aplicação de cera. Produto com valor acessível e de excelente resultado;
  • Existe uma lei para acabamento, se caso você trabalhar com cera, não utilize verniz, e vice-versa.
  • Realize o polimento com uma flanela.

Normalmente não conseguimos resultados perfeitos de cara, mas pratique, pratique e pratique!

Afinal, é um trabalho artesanal, que exige riqueza nos detalhes.

A força e a pressão motora são alinhadas a medida que você pratica. Com o tempo você acerta a mão…

Qual processo de lixamento você tem utilizado?

Conte pra gente!

MDF ou MDP?

Qual chapa você deve utilizar?

MDF ou MDP.

Nos dias atuais o padrão de imóveis tem passado por grandes mudanças, com a intenção de agradar variados tipos e gostos de compradores.

Observamos quartos compactos e cozinhas, a cada dia, mais enxutas, como também imóveis imensos, com longas escadas ou elevadores privativos.

Hoje o mercado de imóveis tem opções para absolutamente todos os gostos.

Sobretudo, estes variados tipos de moradia resultam das diversas transformações socioeconômicas.

Existem milhares de motivos para tais reestruturações, como as necessidades de construções ágeis, adaptação do espaço físico, ascensão das classes C e B, entre outros.

Com o novo conceito, o mercado moveleiro ganha mais visibilidade e participação nas construções civis.

É indiscutível o crescimento do mercado de móveis sob medida no Brasil, pois ele dispõe de inúmeras vantagens ao consumidor.

Os clientes entendem que é possível, em um espaço pequeno, caber bom gosto, conforto e beleza.

Mas hoje iremos bater um papo sobre dois tipos de insumos que constantemente são utilizados nas confecções de móveis.

Para criar um bom móvel é importante que o projeto tenha uma boa estruturação, com ideias sólidas e cálculos precisos, a matéria-prima deve ter qualidade e o marceneiro deve ser competente para idealizá-lo.

Mas afinal, quais substratos posso utilizar para criar móveis planejados, além da madeira maciça e do antigo compensado?

Proponho aqui dois produtos bastante famosos e essenciais para qualquer tipo de marcenaria.

São eles: o MDF e o MDP:

O MDF é o “queridinho” das marcenarias, é um aglutinado de fibras de madeira, revestido com resina. Normalmente as fibras são provenientes da árvore de pinos ou de eucalipto.

A tora de madeira é transformada em cavaco e enfim, o cavaco em fibra.

Esta matéria-prima passa por uma técnica de prensa, tornando–se compacto e com estrutura estável.

 

Vantagens em utilizar o MDF:

  • A estrutura do MDF permite que o marceneiro trabalhe com diversas formas de cortes;
  • É utilizado nas partes externas dos móveis;
  • É possível aplicar variados tipos de revestimentos (boa fixação na sua superfície);
  • Ótimo para cantos arredondados e usinados;
  • Sua superfície é lisa e uniforme, gerando assim otimização no momento do corte;
  • Possui substâncias que diminuem o aparecimento de cupins;
  • Sua fabricação é feita com madeiras reflorestadas;
  • Pode ser utilizado em vários tipos de ambientes;
  • Existe a possibilidade de utilizar máquinas menores para o corte;
  • Maior resistência mecânica;

Em relação ao MDP, primeiramente gostaria de deixar bem claro que este insumo não é o antigo aglomerado.

Tal substrato é feito de partículas aglutinadas em camadas distintas.

O MDP também é fabricado de madeira de pinos ou eucalipto e passa por processos de prensagem. Obtendo assim o produto cru.

As laterais do MDP possuem duas camadas de fibras nas extremidades e uma camada mais grossa no meio, ou seja, três camadas de fibra de madeira.

Maquinários maiores e específicos são os responsáveis pelo corte deste substrato, e máquinas de pequeno porte como tico-tico e serra circular manual também são usados para cortes retos e de formas orgânicas.

Tem ampla utilização na indústria moveleira.

 Vantagens em utilizar o MDP:

  • É normalmente utilizado para partes internas dos móveis;
  • Menor possibilidade de empenar;
  • Mais econômico;
  • Mais leve;
  • Ótimo desempenho em relação a fixação;
  • Bom desempenho em sistemas de fixação;
  • É possível aplicar variados tipos de revestimentos (boa fixação na sua superfície);
  • Sua fabricação é feita com madeiras reflorestadas;
  • Pode ser utilizado em vários tipos de ambientes;

Mas afinal, qual devemos utilizar?

Alguns marceneiros utilizam apenas o MDP, outros somente o MDF, mas estamos falando de móveis sob medida, interessante seria utilizar ambos juntos, no mesmo projeto. Ou mesmo separadas. Pois os dois possuem vantagens importantes para qualquer obra. O processo de fabricação é igual.

Portanto as duas chapas são altamente eficientes em qualquer projeto, possuem capacidade contra umidade iguais e proporcionam para seu projeto grandes facilidades de manuseio.

Onde eventualmente podemos utilizar as chapas:

  • Nichos
  • Cabeceiras de cama
  • Berços
  • Artesanato
  • Decoração
  • Gavetas
  • Prateleiras
  • Portas
  • Armários de cozinha

Que tal dar uma conferida na matéria relacionada a ferragens, para enriquecer o seu projeto? Acesse: Ferragens: saiba como elas podem agregar valor ao seu projeto

E você, como aproveita estes materiais em seus projetos? Compartilhe suas experiências e práticas aqui nos comentários e aproveite o nosso grupo do Facebook para se inspirar! Um abraço e até logo.

Quais ferramentas devo adquirir na marcenaria focada em MDF?

Você está iniciando na arte da marcenaria ou deseja trabalhar com MDF? Que tal conferir a lista para você começar com tudo!

Iniciei na marcenaria a 60 anos e todo início é complicado, mas não desisti!  Neste texto, quero dividir com vocês meus erros e acertos em relação ao uso de ferramentas.

É normal gastar fortunas com máquinas, produtos e ferramentas, que as vezes, não sabemos utilizar.

Vamos iniciar uma série de matérias para clarear as ideias em relação as ferramentas, itens e máquinas de cada segmento de marcenaria. A princípio, vamos bater um papo sobre a marcenaria focada em MDF.

Sabemos que todo início é difícil, em qualquer profissão, por outro lado, escolhendo as ferramentas corretas você poupará tempo e custo, da mesma forma, que evitará dar um passo maior que a sua perna.

Primeiramente, tenha em mente que antes de comprar qualquer ferramenta, é necessário analisar o espaço físico disponível.

Antes de mais nada, defina o local onde será a sua marcenaria, bem como, onde será o compartimento de suas ferramentas e, principalmente, qual será o segmento você irá trabalhar?

Sim, qual segmento?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O assunto “marcenaria” é muito amplo. Portanto, hoje iremos bater um papo sobre as ferramentas básicas e itens indispensáveis para a marcenaria focada em MDF.

O MDF é extremamente versátil, de fato,  é um substrato que pode ser utilizado em diversos segmentos, ele disponibiliza um leque de opções para você.

Quem trabalha com MDF tem diferencial em função de sua ampla capacidade de utilização. O MDF é fruto de uma marcenaria relativamente contemporânea.

O Medium density fiberboard – MDF, é uma aglutinação de fibra de madeira sintética e outros aditivos. Um substrato com propriedades semelhantes a madeira maciça. Criado nos Estados Unidos na década de 60.

No Brasil, a cada dia que passa, o MDF vem ganhando mais espaço, visibilidade e conquistando novos adeptos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                   

Vamos bater um papo sobre as ferramentas e itens que para mim são pertinentes para quem está iniciando na marcenaria e/ou vai trabalhar com MDF.

Arco  de serra:

Utilizado para corte de metais ferrosos e não ferrosos, pregos e pinos metálicos.

Alicate universal:

Existem milhares de tipos de alicates no mercado, sendo assim,  indico que você inicie com o alicate universal, devido a sua praticidade e variadas formas de uso.

Brocas:

  • Brocas chatas para furos de grande diâmetro.
  • Broca de três pontas para furos com precisão.
  • Brocas  de aço rápido, para uso em diversos substratos.

Dentre os variados modelos de brocas no mercado, procure brocas direcionadas para madeira.

Principais medidas para brocas de três pontas: 06/8/10/12/16

Principais medidas para brocas de aço rápido: 1.5/2/3/3.5/4/4.6/5/5.5/6/6.5

Principais medidas para brocas chatas: 10/12/16/18/20/25

 Chave de fenda e chave Philips:

Existem profundidades, cantos e espaços que as parafusadeiras não chegam, acho muito pertinente a presença destas ferramentas na marcenaria. Elas garantem uma fixação eficaz para as peças.

Estilete:

Ele é o substituto do antigo canivete de folha, muito utilizado, versátil!

Furadeira:

Esta ferramenta será muito utilizada, lembre-se de adquiri-la de uma marca conhecida.

Observações referente ao mandril:

O mandril é onde sua broca será fixada na parafusadeira.

Os mandris com maior facilidade de fixação da broca são os mandris de aperto rápido, porém as furadeiras de uso profissional usamos o sistema de aperto com chave de mandril.

Lápis comum:

Lápis comum com grafite redonda, é interessante acrescentar que muitos marceneiros estão utilizando lapiseira com grafite 0.7, devido a precisão do traço na hora do corte.

Lixa convencional / uso manual:

Antes de lixar, devemos realizar a limpeza na superfície, principalmente no MDF cru.

Metro ou trena:

Hoje tudo é bem diferente, as ferramentas se modernizaram bastante, existem trenas a laser, que medem o ambiente e existem ainda as convencionais.

O metro é muito utilizado na medição de superfícies planas, onde a rigidez é necessária.

Martelo:

O martelo mais utilizado neste modelo de marcenaria é o martelo de borracha, utilizado na instalação de dispositivos de acabamento em alumínio e outros dispositivos de encaixe.

Parafusadeira:

O manuseio da ferramenta deve ser feito de forma onde a ponta esteja na mesma direção do parafuso que será fixado. E o esforço a ser empregado deve ser compatível com o tamanho do parafuso e superfície a ser fixada.

Parafusos diversos:

Existem variadas medidas de diâmetro, mas fica a dica:

Parafusos mais comuns:

3,5×20;

4,5×50;

4,0×40;

3,5×35;

3,5×16.

Parafusos de cabeças retas e chanfrados são os mais indicados para  trabalhar com MDF.

Régua de aço:

Cria medidas precisas e pontuais, garante consistência para o projeto.

Serra tico-tico:   

Indico que utilize a lâmina especifica para trabalho com MDF.

  • Lâminas curtas para madeira de menor espessura.
  • Lâminas longas para madeira com maior espessura
  • Dentes pequenos devem ser compatíveis com lâminas curtas.
  • Dentes grandes devem ser compatível com as lâminas longas.

                                                              

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Opções de Máquinas para corte em MDF:

Serra circular manual:

É uma ferramenta de corte utilizada quando à impossibilidade de corte na ferramenta estacionária. Dessa forma, pode ser levada para qualquer ambiente.

Serra circular estacionária:

Utilizada quando o material pode ser transportado até a máquina. Ela não pode esquadrejar.

Serra esquadrejadeira:

Esta máquina é o sonho de consumo de 100 a cada 100 marceneiros… Ela é extremamente produtiva, desde que seja utilizada a serra compatível com matéria prima a ser cortada.

Portanto a quantidade e o desenho dos dentes da serra determinarão a produtividade que o profissional precisa.  Desta forma, podemos dizer que, dentre as três, é a de valor mais elevado.

Pensando em investimento, indico que você inicie com uma serra circular estacionária, e tenha uma serra manual caso precise realizar projetos em outros ambientes. Mas… se você pode investir, tem capital, compre uma serra esquadrejadeira, pois ela é, definitivamente, uma ferramenta fantástica.

Acabamentos específicos:

Tupia:

À primeira vista, adquirir os três principais tipos de tupias, seria o melhor dos mundos. Logo, para iniciantes, indico a tupia de coluna, pois possui vários acessórios, e você já adquire de uma só vez um equipamento eficiente!

  • Estacionária, para usos externos, painéis planos.
  • Tupia de coluna, possui mais acessórios (fresas), variadas possibilidades de acabamentos e usinagens.
  • Tupia para laminados, é uma versão de menor potência e tamanho, onde é utilizada para acabamentos de laminados e acabamentos diversos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Itens indispensáveis e espaço físico:

Tenha em mente que é necessário observar a circulação do ar, iluminação, temperatura ambiente, ruídos e espaços para circulação.

Boa iluminação:

Uma boa iluminação não apenas faz diferença na visualização dos detalhes no projeto, ela também coopera com as normas regulamentares referente a iluminação na marcenaria.

Iluminação mínima pode ser 15W por metro².

Coletor de pó:

Necessário observar o espaço físico do local, tamanho e quantidade de máquinas, pois existem coletores de pó dos mais diversos modelos. Este investimento traz melhorias em relação a saúde de todos aqueles que frequentam ou trabalham na marcenaria.

As resinas que certos tipos de madeiras possuem, ocasionam problemas respiratórios por conta da falta de utilização do E.P.I, uma vez que, poucos se atentam para isso.

O coletor de pó é uma solução que irá fornecer a sua marcenaria adequação referente as normas regulamentares pertinentes a qualidade do ar. NR 15/anexo 12.

Bancada:

Para lidar com qualquer tipo de madeira é necessário utilizar uma bancada que suporte a pressão, não é uma mesa de cozinha, é uma BANCADA construída para utilização na marcenaria.

Caro amigo marceneiro, seja em uma garagem ou um pequeno salão, pensar no espaço e no layout para guardar suas ferramentas é imprescindível.

 

lembrando, fiz uma matéria falando sobre o layout na marcenaria, vale a pena dar uma conferida para clarear as ideias. Link: https://bit.ly/2LM7K9H.

                 

Uma dica interessante para organizar as ferramentas é criar um mural na parede ou construir um armário específico para guarda-las.

Para as ferramentas que não indiquei acima, existe uma fórmula muito interessante para quem está iniciando no universo da marcenaria:

Marca conhecida + modelo básico

As marcas, a cada dia, investem pesado na tecnologia e existem tantos modelos incríveis… é de cair o queixo…

Mas lembre-se, comece pelo básico.

                             

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Grandes projetos exigem grandes investimentos. Sendo assim, já sabemos que adquirir conhecimento possibilita que você entre para um novo mercado de trabalho, definitivamente, um novo ramo!

Primeiramente, tenha bom senso, o marceneiro consciente vale mais que uma equipe mal-intencionada…

Ao passar na sua loja para comprar ferramentas, aconselho comprar também EPI’s. Postei uma matéria muito legal aqui no blog falando sobre equipamento de proteção individual na marcenaria, não deixe de conferir…  EPI na marcenaria: equipamento de segurança em nossas mãos

 

Compartilhe com aquele amigo novato no ramo, ele vai te agradecer!

Você consegue melhorar essa lista? Curta!! compartilhe!! Comente!!