Como Parafusar perfeitamente suas peças em MDF e MDP

Confira como parafusar as peças como um profissional !

Você já passou por isso, tenho certeza…

Iniciou um projeto, tudo estava ocorrendo bem, mas, no momento de realizar a furação, o substrato rachou…Ou mesmo, depois de poucos dias você descobre um rompimento na madeira.

Que lastima…é de romper as veias do coração.

Boas furações são duráveis e não prejudicam a madeira!

Todas as vezes que vamos utilizar substratos como MDF e MDP, devemos lembrar de realizar o pré furo, ou o famoso furo guia.


Caso nunca tenha ouvido falar, o pré furo é um procedimento para impedir que a matéria prima venha rachar.

Pode ser realizado com escareador ou broca.


Por exemplo, quando realizo as furações, costumo utilizar a broca meio milímetro menor que o parafuso.


A Broca pode ser a de aço rápido ou a broca de 3 pontas.

O revestimento determina o parafuso correto.

MDF revestido com Laminado decorativo:
Utilize parafuso de cabeça chata, furação guia feita com escareador.
Este procedimento permite fixar o laminado decorativo.

MDF revestido com Laca
Em situação de laqueamento, realize a furação guia com escareador, a cabeça do parafuso deve ficar um pouco abaixo, lembrando, utilize parafusos de cabeça chata.

Aplique massa sobre o parafuso, em seguida o fundo e a Laca.
Sem sobra de dúvidas, um dos mais belos revestimentos!

O escareador é ideal para utilizar com parafusos de cabeça chata, ou seja, nos dois exemplos acima.

Realiza também o rebaixo na madeira.

Quando o parafuso fica aparente?
O parafuso fica aparente quando faz parte da decoração.

Neste caso utilize a broca e parafusos panelinha, são normalmente utilizados como parte da decoração.

É isso amigos, tenham uma ótima semana!

Aprenda a fazer boneca com estopa para envernizar a madeira

Acabamento barato, fácil e de resultado surpreendente!

Confira o passo a passo de umas das técnicas mais eficazes para realizar o acabamento na madeira.

É engraçado o nome, mas para quem curti um bom acabamento, boneca é uma excelente técnica.

Afinal, um bom acabamento é fundamental para a valorização da peça.

É normal escutar, “Vou finalizar com boneca “, antes de pensar bobagens entenda como funciona:

Sabe aquele efeito que não deixa marcas de pincel na madeira, essa é a famosa boneca.

É um acabamento que agrega valor e deixa a peça lisinha e sem marcas de pincel.

Que tal prepararmos nossa própria boneca?

Vamos precisar apenas de:

  • Estopa;
  • Malha de algodão.

Com componentes simples e práticos podemos criar uma excelente solução, que faz total diferença no acabamento da peça.

Então agora mãos a obra:

  • Corte um pedaço quadrado de tecido em algodão
  • O tecido não precisa ser muito pequeno e nem muito grande
  • O tamanho do tecido está relacionado ao tamanho da boneca desejado

Coloque sobre o quadrado de tecido, uma quantidade de estopa relativa ao tamanho do algodão, por exemplo:

  • Tecido 30x30cm
  • Estopa dois punhados.

Envolva a estopa sobre o tecido de algodão.

Como se fosse um balão.

Aperte as pontas com um elástico ou barbante.

Como utilizar corretamente?

Lixe bem a madeira

Confira algumas dicas para realizar o lixamento:

Importante manter o tecido bem amarrado.

O formato vai lembrar a cabeça de uma boneca de pano, esta técnica é bem antiga e de forma simples ela oferece acabamento otimizado e fácil aplicação.

Mergulhe a cabeça da boneca no verniz

Aplique de maneira uniforme sobre a superficie da madeira

Após aplicar por toda a superficie, deixe secar.

Você vai se surpreender com o resultado.

Você utiliza esta técnica?

Como você tem realizado seus acabamentos?

Conte pra gente!

Ligna 2019

Ligna 2019

Olá profissional da Marcenaria! 

Confira as novidades do maior evento do mundo da indústria da Madeira!

A Ligna 2019 é umas das mais importantes feiras do universo da marcenaria, com sua visão futurista e disruptiva, oferece diferentes opções para o setor. 

É uma ponte para grandes investimentos e soluções inteligentes, considerada a líder mundial em matéria de investimento da madeira e seu processamento.

Acontece em Hannover (Alemanha), e conta com mais de 1.500 expositores de 50 países, conectando Industria, pessoas e tecnologia.

E na edição de 2019 surpreendeu, com temas diversificados:

  • 4º Revolução industrial;
  • Mudança do comportamento no setor;
  • Soluções integradas;
  • Novos Desafios;
  • Futuro.

Além das suas diversas atrações, as máquinas sobre tudo captam o desejo interno de grande parte dos visitantes, vê-las assumindo a produção e oferecendo agilidade e maior eficiência aos processos.

E os robôs?

Brincadeiras à parte, a robótica é de fato a tecnologia que vai transformar o segmento.

Destaque para o processamento inteligentes da madeira, que com variados tipos de sistemas integrados planejam desde o design até o corte da peça. Tudo isso alinhado a uma tecnologia fácil de utilizar e compreender, podendo efetuar comandos até de smartphones.

A tecnologia Nesting, por exemplo, consegue aplicar mais de 30 opções de dispositivo de montagem, e realizar o corte, o sistema aplica os dispositivos de forma eficiente e rápida, processamento em alto nível, que chega até assustar os telespectadores da feira.

Uma das tendências é inserir a realidade aumentada aos processos, no momento da criação e transposição das etapas do trabalho e estado das máquinas.  E claro, a produção e visualização do processo em 3D não poderia ficar de fora.

Hoje a tecnologia toca praticamento todos os segmentos, inclusive a industria moveleira.
A marcenaria 4.0!

A visualização em 3D permite ao profissional maior assertividade nas medidas do corte.  

O Ligna 2019 apresentou soluções como as “all -in-one” tecnologia que reuni várias máquinas autônomas, criando fluxos de trabalhos interconectados. Praticamente a inteligência artificial na marcenaria! Uau incrível!

No geral, a tecnologia invade o contexto em absolutamente todas as áreas do segmento é um caminho sem volta. Seja na produção, na industrialização ou na montagem.

Em suma o evento traz o futuro da indústria moveleira e surpreende, é interessante observar como a tecnologia invade nosso setor, mas afinal, como isso impacta na minha fabricação?

E onde vamos ficar em todo esse emaranhado de fios e botões?

Antes, eu era contra toda e qualquer tecnologia, mas quando descobri que ela poderia melhorar os processos do meu trabalho, eu escolhi que essa adaptação não seria um sofrimento, ao invés disso, um aprendizado.

A certeza que carregamos de todo nosso conhecimento e bagagem, nesse momento deve ser desconstruída. As certezas nos impedem de enxergar o novo.

Se despir do velho e tentar ao menos entender o novo, pode nos tornar maiores ainda. Vamos penar um pouco, mas a recompensa chega!

Isso foi citado no Ligna, será que o marceneiro, o carpinteiro ou o montador e claro, a indústria, estão preparados para esta transformação?

Vou deixar um link de vídeo abaixo, ele está em inglês, mas conseguimos visualizar a magia das máquinas em ação, acompanhe é bem legal!

E você amigo marceneiro, o que acha destas transformações no setor, tem acompanhado?

Conta pra gente como você vê a marcenaria e a tecnologia caminhando juntas. 

Obrigada e até logo!

Dicas valiosas de como lixar a madeira: Utilize a lixa certa para cada etapa.

Qual lixa escolher e como utilizar?

Móveis perfeitos contam com um processo de produção e acabamento eficientes, e claro, a utilização da lixa certa.

Uma das etapas que impacta diretamente na percepção do acabamento está relacionada ao lixamento da madeira.

https://bit.ly/2MtNhWE

Gostaria de dividir com vocês algumas dicas acerca do lixamento da madeira e como utilizar as lixas.

O lixamento da madeira é imprescindível, acabamentos perfeitos só serão possíveis com processos eficientes.

Aparentemente parece um processo árduo e demorado, mas seguindo estas dicas você poderá poupar tempo nas etapas, obter maior organização e sem perder na qualidade.

Primeiro vamos entender como funciona o sistema de numeração das lixas.

Toda lixa tem uma numeração no verso, é a indicação do grão.

A medida que está numeração diminui, mais abrasiva ela é.

Logo, uma lixa com a numeração 150 é mais fina que uma de 60. Ou seja, quanto menor a numeração, mais grossa é a lixa.

Escolha a lixa correta:

Para iniciar o lixamento certifique-se que a superficie encontra-se sem óleo ou resíduos.

Comece com a lixa mais grossa.

Podemos seguir a seguinte regra para saber qual será a próxima lixa:

Número da lixa, mais a metade deste número –> 100+50=150

Se caso não existir o grão com o resultado na numeração, utilize a numeração mais próxima do resultado. Exemplo:

Se você começar com a lixa 100 suba para a 150, após (150+75= 225) 225 não existe, utilize a 220.

Lixamento

  • Lixa grossa primeiro (quando necessário);
  • Atente- se ao sentido dos veios da madeira, esse será o sentido em que o lixamento deverá acontecer;
  • Tenha um protótipo, o exemplo de resultado, uma foto, ou mesmo uma madeira, com o resultado que você deseja obter.
  • Lixe com leveza, é um trabalho artesanal, sem agressividade o resultado será muito melhor;
  • Mantenha o mesmo ritmo e também força em todo processo;
  • Para finalizar, utilize a lixa com a numeração maior, de acordo com o resultado que você deseja obter, por exemplo: A lixa 320 oferece uma superfície lisa e uniforme;  
  • Após o processo de lixamento, utilize a cera carnaúba, caso você for trabalhar com processo de aplicação de cera. Produto com valor acessível e de excelente resultado;
  • Existe uma lei para acabamento, se caso você trabalhar com cera, não utilize verniz, e vice-versa.
  • Realize o polimento com uma flanela.

Normalmente não conseguimos resultados perfeitos de cara, mas pratique, pratique e pratique!

Afinal, é um trabalho artesanal, que exige riqueza nos detalhes.

A força e a pressão motora são alinhadas a medida que você pratica. Com o tempo você acerta a mão…

Qual processo de lixamento você tem utilizado?

Conte pra gente!

Qual o melhor material para utilizar em ambientes expostos a umidade?

Ambientes úmidos: escolha a matéria-prima adequada

Atenção a umidade nos ambientes! 

Embora haja grande diversidade de materiais e revestimentos no mercado, a madeira ainda é preferência na hora de decorar casas e apartamentos.

É fato que o MDF, MDP ou o Compensado prevalece naquele projeto do gabinete para o banheiro, ou então, nas bancadas de MDF para a lavanderia.

Mas como conservar a madeira da umidade?

Primeiramente temos que aceitar o fato de que não existe uma madeira industrializada, que seja a prova d´água. Existem matérias-primas mais ou menos resistentes a umidade.

Mas, com atenção e alguns cuidados especiais, é possível utilizar madeira em ambientes mais úmidos.  

Madeiras indicadas:

  • MDF resistente a umidade, como o Ultra, da Duratex;
  • Painel de teca também é uma opção. Por ser duro resiste melhor em ambientes úmidos. Mas é preciso realizar uma impermeabilização de qualidade;
  • Compensado naval é uma ótima alternativa.
  • Para o acabamento, pode-se optar pelo Stain ou pelo Verniz impermeabilizante;
  • Se for utilizar laminado, aplique cola ou adesivo também resistente a umidade, para evitar possível descolamento. Exemplo:
  • PL600, da Cascola;
  • Cola bi componente;

Lembre-se: 

  •  Adesivo PU.
  • Caso os gabinetes e armários não possuam pés de sustentação, os mesmos devem ser instalados de forma elevado ao piso, pois na hora de lavar o ambiente, a madeira não entrará em contato direto com a água;
  • Se o gabinete for instalado sob a bancada do lavatório, redobre sua atenção sobre a vedação em dois pontos críticos: no encontro da bancada com a parede e também com as torneiras e misturadores;
  • A fita de borda auxilia na vedação. Bordeie todos os cantos dos móveis, mesmo as partes que não ficarão visíveis;
  • Utilizar silicone impermeabilizante na junta entre o móvel x pedra x parede;
  • Aplicar verniz também atrás do móvel, quando o mesmo tiver fundo, evitando assim, umidade da parede;

Na verdade a madeira maciça é de fato a matéria-prima mais resistente, no entanto, manuseio mais complexo também, logo os derivados da madeira são mais fácies de manusear.

Estas dicas podem amenizar a ação que o móvel venha sofrer com a umidade. Mas não substituem o aquele concerto maroto no vazamento da cozinha, rs…

Até a próxima !

Dicas de como comprar madeira maciça

,Quais pontos devemos checar na hora de escolher madeira maciça?

A madeira maciça é a matéria-prima mais robusta para trabalhar na indústria moveleira.  No entanto, passa por um processo especial antes de receber o corte, o ornamento e a instalação.

Sendo assim, é muito importante que o marceneiro saiba os pontos mais relevantes na hora da compra, pontos estes que poderão influenciar na finalização do projeto.

Quero bater um papo com você e trazer um pouco de minhas experiências com a madeira maciça, uma vez que trabalhei muitos anos com esse rico e elegante produto.

Quem me ensinou a trabalhar com o insumo foi meu pai, e posso afirmar, existe uma sabedoria muito especial envolvida neste trabalho.

A madeira maciça é uma matéria-prima pura e não possui fragmentos sintéticos, sendo altamente durável e de personalidade própria.

Mas é necessário entender os cuidados ao lidar com ela, uma vez que envolve uma preparação especial, desde o momento da compra até a sua utilização.

Quero dividir com você, caro amigo, um episódio que vivi no passado, para enriquecer nosso assunto.

Certa vez, acompanhei a instalação de pisos de madeira maciça, em uma casa que se encontrava na etapa final de sua construção.

Observei que marceneiro responsável fez tudo absolutamente perfeito. Eu faria todo o procedimento da mesma maneira.

Porém, após algum tempo, mesmo com toda a técnica envolvida no projeto, houve abertura de fendas de um centímetro entre as pranchas.

Não consegui entender o motivo, pois volto a afirmar, o responsável fez tudo com muito zelo e a técnica estava perfeita.

Entrei em contato com meu pai, que é um marceneiro especialista, expliquei o ocorrido e ele fez perguntas aparentemente irrelevantes, em minha opinião:

”Quando essa madeira foi cortada?”

“Como é o desenho das fibras da madeira?”

“Como estavam armazenadas estas pranchas?”

Um bom marceneiro analisa todo o processo, desde a escolha da matéria-prima até sua instalação e finalização.

Certamente tal história ocorreu há tempos, mas este conhecimento temperado por uma sabedoria dos antigos marceneiros e lenhadores, pode sim ser utilizado atualmente.

Bem, vamos voltar à nossa história. Depois de entender e analisar cuidadosamente os questionamentos de meu pai, cheguei a conclusão de que as fendas no piso se deram em função da umidade interna da madeira.

Com o passar dos dias ocorreu a secagem da madeira e em seguida a movimentação das placas fixadas no solo.

Todas, surpreendentemente diminuíram de tamanho.

Para trabalhar com madeira maciça devemos sempre procurar informações sobre armazenamento, características de secagem, transformação e operação.

É fundamental a escolha da prancha correta, principalmente, no que diz respeito a umidade, que é algo que deve ser checado no momento da compra.

Como escolher a madeira correta?

Primeiramente, certifique-se de que a madeira que está comprando seja proveniente do manejo sustentável, ou seja, se ela possui o certificado de legalização, o FSC (Forest Stewardship Council – em português, Conselho de Manejo Florestal).

Este certificado garante que a madeira foi extraída legalmente, sem prejudicar nossas florestas.

Atente-se ao teor de umidade:

  • A umidade deve estar entre 8 e 12%, se estiver acima disso é uma madeira úmida, que irá encolher no decorrer do tempo.
  • Existem medidores específicos para esse procedimento, mas caso você não possui pergunte para o vendedor quando a madeira foi cortada. Para cada 2,5 cm de espessura é necessário 1 ano para secar completamente.
  • A matéria-prima deve estar seca para utilização.

 

Fungos:

  • Os fungos podem prejudicar a madeira no decorrer do tempo. Além disso, a presença de fungos está associada ao apodrecimento da madeira, lembrando que a umidade tem grande influência neste processo. 

Atenção às fibras:

  • As fibras são as linhas que visualizamos na chapa. Elas devem estar distribuídas para apenas uma direção. Este detalhe irá otimizar o acabamento do projeto, compre madeira com fibras que siga uma única direção.

Armazenamento:

  • Checar com o fornecedor como é feito o armazenamento da madeira. Elas devem estar devidamente protegidas do sol e da chuva e portanto, muito bem separadas;
  • Se caso as pranchas estiverem guardadas na horizontal é necessário que estejam separadas uma a uma. Neste caso, utilize tabiques para agilizar os processos de secagem. Desta forma, ela não irá empenar e com certeza, terá secagem uniforme;
  • Se caso o fornecedor optar por secar as pranchas na vertical, interessante é que todas estejam devidamente separadas também.

Observe a forma da prancha:

A prancha deve ser plana. Coloque sobre uma mesa e observe se ela realmente se encontra nesta condição.

É importante entender que um bom marceneiro não se prende a fatos momentâneos, mas observa o projeto como um todo.

Para quem está começando no ramo, sugiro a leitura desta matérias:  Marceneiros iniciantes: 6 dicas para os primeiros passos.

E você? Como aproveita estes materiais em seus projetos?

Compartilhe suas experiências e práticas aqui nos comentários e aproveite o nosso grupo do Facebook para se inspirar! Um abraço e até logo.