Aprenda a fazer boneca com estopa para envernizar a madeira

Acabamento barato, fácil e de resultado surpreendente!

Confira o passo a passo de umas das técnicas mais eficazes para realizar o acabamento na madeira.

É engraçado o nome, mas para quem curti um bom acabamento, boneca é uma excelente técnica.

Afinal, um bom acabamento é fundamental para a valorização da peça.

É normal escutar, “Vou finalizar com boneca “, antes de pensar bobagens entenda como funciona:

Sabe aquele efeito que não deixa marcas de pincel na madeira, essa é a famosa boneca.

É um acabamento que agrega valor e deixa a peça lisinha e sem marcas de pincel.

Que tal prepararmos nossa própria boneca?

Vamos precisar apenas de:

  • Estopa;
  • Malha de algodão.

Com componentes simples e práticos podemos criar uma excelente solução, que faz total diferença no acabamento da peça.

Então agora mãos a obra:

  • Corte um pedaço quadrado de tecido em algodão
  • O tecido não precisa ser muito pequeno e nem muito grande
  • O tamanho do tecido está relacionado ao tamanho da boneca desejado

Coloque sobre o quadrado de tecido, uma quantidade de estopa relativa ao tamanho do algodão, por exemplo:

  • Tecido 30x30cm
  • Estopa dois punhados.

Envolva a estopa sobre o tecido de algodão.

Como se fosse um balão.

Aperte as pontas com um elástico ou barbante.

Como utilizar corretamente?

Lixe bem a madeira

Confira algumas dicas para realizar o lixamento:

Importante manter o tecido bem amarrado.

O formato vai lembrar a cabeça de uma boneca de pano, esta técnica é bem antiga e de forma simples ela oferece acabamento otimizado e fácil aplicação.

Mergulhe a cabeça da boneca no verniz

Aplique de maneira uniforme sobre a superficie da madeira

Após aplicar por toda a superficie, deixe secar.

Você vai se surpreender com o resultado.

Você utiliza esta técnica?

Como você tem realizado seus acabamentos?

Conte pra gente!

Cortar chapas de MDF sozinho…

É possível?

Existem rumores, que a esquadrejadeira permite realizar cortes de chapa sozinho, ou seja, possibilita diminuir os custos com mão de obra, sem perder na produtividade.

Uma máquina de corte como uma esquadrejadeira não é barato, e existem alguns modelos no mercado que variam de R$ 2.000,00 a R$30.000,00.

O padrão de dimensões de chapas de MDF é de 2,75 x 1,83, sabemos que, de fato, é um produto pesado para uma pessoa carregar sozinha, confira o peso e suas espessuras abaixo:

Espessura Kg
3 12,8
6 23,5
12 45,3
15 55,8
18 66,1

Complicado imaginar como o marceneiro pode realizar o corte sozinho de chapas tão pesadas. Mas, resolvi buscar mais informações e encontrei dados interessantes…

A esquadrejadeira é a máquina dos sonhos de muitos marceneiros.

Possui alto desempenho e oferece produtividade.

Favorece as etapas dos processos, gera economia de tempo, agilidade, alta precisão, tanto no ajuste, quanto no corte.

A Baldan oferece um dos mais atraentes modelos do mercado.

Modelo SE3200

Possui diâmetro de Serra de 400mm

Diâmetro de Serra Riscador de 101,6mm

Rotação do Eixo de Serra 3200/4000/6000

Mesa com dimensão 420×3200

https://www.baldan.ind.br/conteudo/serra-esquadrejadeira-de-precisao-com-braco-articulavel-se-320042.html

Permite trabalho com madeiras mais duras, através do motor de 7,5 CV.

Com seu alto desempenho, podemos defini-la como uma máquina de corte altamente produtiva.

Mas será que o marceneiro pode realmente realizar cortes sozinho com a esquadrejadeira?

Realizei algumas pesquisas e acho possível sim!

Porém, além da esquadrejadeira, você irá precisar de acessórios:

Como um carrinho que possibilita a movimentação da chapa e algumas adaptações e encaixes.   

Encontrei um vídeo postado pelo
Marcos Felipe Moraes
Publicado em 3 de jul de 2017


Cortando chapa sozinho na esquadrejadeira

Claro, o processo talvez não seja tão rápido…

Entretanto, acredito que é um investimento interessante, vejo como uma possibilidade para aqueles que podem investir um pouco mais.

E você, o que acha da máquina?

Você tem uma?

Consegue cortar madeira sozinho?

Conte pra gente!

Quando e qual Tupia comprar?

Precisa Comprar uma Tupia ?

 

Olá profissional da Marcenaria!

 

Foi essa a pergunta que fizeram para mim ontem, me pegaram de surpresa, Segue abaixo minha resposta…

A Tupia Proporciona melhor acabamento nos projetos.

Tupias são ferramentas fantásticas, oferecem acabamentos otimizados na madeira e eficiência nas etapas do projeto.

Realizam cortes também, é um produto flexível e eficiente.  

Possuem a função de remover madeira em movimentos laterais ou não.  

Para escolher sua tupia, primeiro avalie o que você irá fazer com ela.

Se você está iniciando no ramo da marcenaria, essa avaliação é necessária para evitar gastos.

Primeiramente adquira pratica no ramo, após isso compre sua tupia.

 

No mercado encontramos 2 tipos de Tupias:

 

Tupia Laminadora:

Para um início, ela está de bom tamanho.

Ela faz o acabamento nas bordas e refila laminados.

 

Tupia De Coluna:

Oferece maior variedade de movimentos.

Sem contar sua potência, muito maior que a Laminadora…

Geralmente utilizada em trabalhos mais pesados, madeira mais densa, 

Em um mundo ideal, possivelmente, para a maioria, ter os dois tipos seria mais interessante.

Mas volto a dizer, o valor da tupia não é baixo, é um produto relativamente caro.

Pense bem, e pergunte a si mesmo:

 

  • Qual será a finalidade da Tupia?

 

 

  • É realmente necessário adquirir uma?

 

 

  • Vai utilizar o equipamento com frequência?

 

 

E você, quando comprou sua primeira Tupia, divide com a agente o que você pensa sobre essa incrível ferramenta :)

Até logo!

Que tal dar uma checada nestas dicas de móveis e ergonomia, basta clicar no link abaixo : )

https://bit.ly/2OUJLSI

 

Você já utilizou chapa de OSB em seus projetos?

Você já utilizou chapa de OSB em seus projetos?

 

Ficou surpreso com esta sigla? Não fique, pois provavelmente você já viu algum móvel ou objeto de decoração confeccionado com OSB, só não conhece pelo nome.

Vamos lá!

O mercado oferece constantemente oportunidades de crescimento para os empresários da marcenaria.

Um nicho que vem sendo explorado por alguns profissionais é o da construção seca, mais conhecido como construções em drywall.

Muitos marceneiros se especializam neste segmento para oferecerem um diferencial aos seus clientes, soluções que vão além da execução de móveis.

Mas final, o que é o OSB?

O OSB origina-se da expressão inglesa Oriented Strand Board, que em português significa Painel de Tiras de Madeira Orientadas.

É um painel estrutural de tiras de madeira orientadas perpendicularmente, em várias camadas, que aumenta sua resistência mecânica.

É ideal para ser aplicado entre as chapas de drywall oferecendo resistência, durabilidade e versatilidade estrutural, garantindo, desta forma, a resistência para sustentar até mesmo um armário de cozinha.

Características

  • Baixo custo;
  • Mais qualidade;
  • Rapidez na execução das obras;
  • Flexibilidade;
  • Aproveitamento dos materiais;
  • Redução de perdas;
  • Estética atrativa para muitas pessoas;
  • Bom isolamento termo acústico.

Embora seja considerado um produto voltado para construção seca, sua aplicabilidade é muito versátil:

  • Estruturas de móveis;
  • Confecção de luminárias;
  • Mesas;
  • Cadeiras;
  • Aparadores;
  • Bancadas;
  • Cômodas;
  • Todos tipos de decoração e design;
  • Base de pisos para a aplicação de carpetes, pisos de madeira, ladrilhos etc;
  • Tapumes e barracões de obras;
  • Pallets tipo container.

Crie projetos diferenciados e personalizados utilizando o OSB para clientes que buscam por produtos alternativos.

Você já utilizou este produto? Compartilhe conosco.

 

Dicas preciosas para a limpeza adequada do MDF

Nesta matéria trago algumas dicas para a limpeza adequada do MDF.

São pequenas práticas que ajudam a manter a limpeza e a conservação do MDF.

A importância da limpeza para a conservação:

Existem variados tipos de matérias-primas para criar móveis. E cada uma possui uma processo especifico de limpeza.

A limpeza  diminui a possibilidade de fungos, umidade e cupim.

Conserva o aspecto natural da mobília e aumenta o tempo de vida útil.

O MDF é um insumo de grande importância na indústria moveleira, criado nos estados unidos, na década de 60, conquistou espaço no mercado, devido a facilidade em seu manuseio e aplicações.

Vamos conferir !

Bem, primeiramente é preciso identificar o tipo de sujeira para saber qual é a forma mais adequada de efetuar a limpeza:

  • É comum derrubar café, molhos e chás na mobília. Realize a limpeza  com detergente neutro (algumas gotas) e um pano macio limpo.
  • Os fungos procuram materiais orgânicas e as madeiras e seus derivados são seus maiores alvos. Logo, sua aparição tem relação direta com a umidade do ambiente. Para realizar a limpeza do mofo, dilua 50 ml de água sanitária em 1 litro de água. Umedeça uma flanela limpa na mistura e, na sequência, passe nas áreas afetadas.
  • Para eliminar manchas de caneta marca texto, utilize apenas um pano com água. Mas lembre-se, o pano deve estar úmido, não encharcado.
  • Para limpeza de canetas esferográficas, pincel atômico e pincel mágico primeiramente utilize um pano limpo de algodão umedecido com álcool 92,8° INPM (álcool comum), em seguida utilize um pano umedecido com água
  • Gorduras como manteiga, óleo, margarina etc… utilizar pano  de algodão) umedecido e torcido em água com detergente neutro.
  • Manchas de graxa de sapato, graxa mineral, cola de adesivo, utilize um pano limpo umedecido em aguarrás. Logo depois, passe um pano umedecido em água e detergente neutro.
  • Para a Cola de contato, se caso ainda estiver líquida, utilize um pano limpo umedecido em aguarrás e em seguida passar um pano limpo umedecido com detergente neutro.
  • Cola branca PVA líquida, é necessário aplicar pano limpo com detergente neutro. Se estiver seca, umedecer o local com álcool 92,8 INPM. Deixar amolecer e fazer a limpeza final com pano úmido e detergente neutro. Caso não resolva, utilize acetona para melhorar a remoção.

Fonte: Duratex

Uma dica importante:

Deslize o pano em apenas um sentido, para garantir uma superfície sem manchas. 

Não limpe em sentido circular! Isso gera manchas.

MDF revestido de preto e MDF brilhante

As placas de MDF”s revestidas de melamina na cor preta e a que recebem acabamento alto brilho, necessitam de cuidados especiais.

Podem ser limpas com limpa vidros, sim limpa vidros, pois são linhas de MDF especificas, com tecnologias diferenciadas. 

Na ausência do limpa vidros utilizar álcool acima de 90% ou acetona.

MDF´s com filme de proteção:

1. Utilize um pano limpo e seco para aplicar querosene ou acetona;
2. Remova o excesso de querosene ou acetona;
3. Borrife CIF (limpa vidros);
4. Uniformize e tire o excesso de umidade com um pano limpo e seco a superfície;
5. Espere secar.

Cuidados especiais:

  • MDF como este, em especial indico não utilizar thinner. O produto pode danificar a superfície;
  • Utilize flanela ou um tecido de algodão;
  • Só remova a película de proteção após a montagem.

Continue lendo “Dicas preciosas para a limpeza adequada do MDF”

Como melhorar o fluxo de produção na marcenaria

Que tal criar um fluxo de produção inteligente e aumentar a produtividade?

Você já ouvir falar no Kanban? De origem japonesa, o Kanban é um sistema de sinalização, que de forma muito eficiente, controla o fluxo de produção e impacta diretamente na qualidade do produto final de sua empresa.

É uma ferramenta de trabalho muito simples, por outro lado, extremamente eficaz. Seu retorno é garantido e sua implantação tem praticamente custo zero.

Certamente é complicado para o marceneiro equilibrar tempo, qualidade e, principalmente, produção. Confesso, eu mesmo já fui impactado por acumular entregas e atrasar projetos.

Vivemos em um mercado de múltiplas escolhas e infinitas opções, se eu não forneço aos meus clientes o que eles desejam, perco credibilidade, consequentemente, perco o cliente.

O que está em jogo não é entregar um projeto da noite para o dia. Mas precisamos criar processos, estipular metas, datas e, principalmente, garantir a qualidade e a eficiência.

Custo com mão-de-obra

Existem muitas questões envolvidas nesse processo, entre elas:

  • Logística
  • Planejamento
  • Demanda
  • Material
  • Recursos
  • Mão de obra 

Muitas marcenarias ainda caminham sobre sistemas antigos, mas isso, nada tem a ver com o sucesso do segmento, pois o ramo existe a mais de 2.000 anos.

Gostaria de compartilhar com vocês uma solução inteligente para quem deseja melhorar o fluxo de produção na marcenaria 4.0, ou podemos chamar também de marcenaria do futuro.

O marceneiro é um microempreendedor, então vamos trabalhar nessa linha de raciocínio.

Os empreendedores utilizam ferramentas da qualidade, que impactam diretamente em seus trabalhos.

A cultura japonesa, por exemplo, trouxe para o ocidente diferentes ferramentas que melhoram os fluxos de produção e o Kanban nos ajuda a acompanhar o andamento deste fluxo.

O Kanban é uma ferramenta que conta com cartões de sinalização. Com ele, o marceneiro poderá alinhar os processos de produtividade, demanda, tempo e diversos outros pontos de melhoria.

Sobretudo a ferramenta possui três vertentes:

  • Fazer (to do):

Quais os novos projetos que iremos desenvolver?

  • Fazendo (doing)

Quais os projetos que você está trabalhando?

  • Feito (done):

Quais projetos foram finalizados?

 

Benefícios:

  • Reduz o tempo ocioso. Por meio dos indicativos, é facilmente perceptível as tarefas pendentes;
  • Permite fácil visualização do fluxo como um todo;
  • Garante mais foco nos projetos, já que são subdivididos por prioridades;
  • Viabiliza o tempo de produção;
  • Reduz gastos, tendo em vista a probabilidade do processo de refação;
  • Controle geral do processo;
  • Disciplina entre os colaboradores.

 

Enfim, este controle garante de forma rápida e eficiente, a visualização de todos os projetos até a sua entrega.

Sugiro expor seu Kanban em local de fácil visualização. Mas é preciso ter disciplina.

Está é uma das formas te tentar ajudar vocês a garantir boas entregas e retorno financeiro.

Confira também uma matéria superinteressante sobre organização no processo produtivo marcenaria:  Metodologia 5S: Maior qualidade e produtividade para sua empresa

Você considera esta dica interessante? Compartilhe suas experiências e práticas aqui, nos comentários e aproveite o nosso grupo do Facebook para se inspirar!

Um abraço e até logo.

Comente, sua opinião é bem-vinda!!

 

MDF ou MDP?

Qual chapa você deve utilizar?

MDF ou MDP.

Nos dias atuais o padrão de imóveis tem passado por grandes mudanças, com a intenção de agradar variados tipos e gostos de compradores.

Observamos quartos compactos e cozinhas, a cada dia, mais enxutas, como também imóveis imensos, com longas escadas ou elevadores privativos.

Hoje o mercado de imóveis tem opções para absolutamente todos os gostos.

Sobretudo, estes variados tipos de moradia resultam das diversas transformações socioeconômicas.

Existem milhares de motivos para tais reestruturações, como as necessidades de construções ágeis, adaptação do espaço físico, ascensão das classes C e B, entre outros.

Com o novo conceito, o mercado moveleiro ganha mais visibilidade e participação nas construções civis.

É indiscutível o crescimento do mercado de móveis sob medida no Brasil, pois ele dispõe de inúmeras vantagens ao consumidor.

Os clientes entendem que é possível, em um espaço pequeno, caber bom gosto, conforto e beleza.

Mas hoje iremos bater um papo sobre dois tipos de insumos que constantemente são utilizados nas confecções de móveis.

Para criar um bom móvel é importante que o projeto tenha uma boa estruturação, com ideias sólidas e cálculos precisos, a matéria-prima deve ter qualidade e o marceneiro deve ser competente para idealizá-lo.

Mas afinal, quais substratos posso utilizar para criar móveis planejados, além da madeira maciça e do antigo compensado?

Proponho aqui dois produtos bastante famosos e essenciais para qualquer tipo de marcenaria.

São eles: o MDF e o MDP:

O MDF é o “queridinho” das marcenarias, é um aglutinado de fibras de madeira, revestido com resina. Normalmente as fibras são provenientes da árvore de pinos ou de eucalipto.

A tora de madeira é transformada em cavaco e enfim, o cavaco em fibra.

Esta matéria-prima passa por uma técnica de prensa, tornando–se compacto e com estrutura estável.

 

Vantagens em utilizar o MDF:

  • A estrutura do MDF permite que o marceneiro trabalhe com diversas formas de cortes;
  • É utilizado nas partes externas dos móveis;
  • É possível aplicar variados tipos de revestimentos (boa fixação na sua superfície);
  • Ótimo para cantos arredondados e usinados;
  • Sua superfície é lisa e uniforme, gerando assim otimização no momento do corte;
  • Possui substâncias que diminuem o aparecimento de cupins;
  • Sua fabricação é feita com madeiras reflorestadas;
  • Pode ser utilizado em vários tipos de ambientes;
  • Existe a possibilidade de utilizar máquinas menores para o corte;
  • Maior resistência mecânica;

Em relação ao MDP, primeiramente gostaria de deixar bem claro que este insumo não é o antigo aglomerado.

Tal substrato é feito de partículas aglutinadas em camadas distintas.

O MDP também é fabricado de madeira de pinos ou eucalipto e passa por processos de prensagem. Obtendo assim o produto cru.

As laterais do MDP possuem duas camadas de fibras nas extremidades e uma camada mais grossa no meio, ou seja, três camadas de fibra de madeira.

Maquinários maiores e específicos são os responsáveis pelo corte deste substrato, e máquinas de pequeno porte como tico-tico e serra circular manual também são usados para cortes retos e de formas orgânicas.

Tem ampla utilização na indústria moveleira.

 Vantagens em utilizar o MDP:

  • É normalmente utilizado para partes internas dos móveis;
  • Menor possibilidade de empenar;
  • Mais econômico;
  • Mais leve;
  • Ótimo desempenho em relação a fixação;
  • Bom desempenho em sistemas de fixação;
  • É possível aplicar variados tipos de revestimentos (boa fixação na sua superfície);
  • Sua fabricação é feita com madeiras reflorestadas;
  • Pode ser utilizado em vários tipos de ambientes;

Mas afinal, qual devemos utilizar?

Alguns marceneiros utilizam apenas o MDP, outros somente o MDF, mas estamos falando de móveis sob medida, interessante seria utilizar ambos juntos, no mesmo projeto. Ou mesmo separadas. Pois os dois possuem vantagens importantes para qualquer obra. O processo de fabricação é igual.

Portanto as duas chapas são altamente eficientes em qualquer projeto, possuem capacidade contra umidade iguais e proporcionam para seu projeto grandes facilidades de manuseio.

Onde eventualmente podemos utilizar as chapas:

  • Nichos
  • Cabeceiras de cama
  • Berços
  • Artesanato
  • Decoração
  • Gavetas
  • Prateleiras
  • Portas
  • Armários de cozinha

Que tal dar uma conferida na matéria relacionada a ferragens, para enriquecer o seu projeto? Acesse: Ferragens: saiba como elas podem agregar valor ao seu projeto

E você, como aproveita estes materiais em seus projetos? Compartilhe suas experiências e práticas aqui nos comentários e aproveite o nosso grupo do Facebook para se inspirar! Um abraço e até logo.

Quais ferramentas devo adquirir na marcenaria focada em MDF?

Você está iniciando na arte da marcenaria ou deseja trabalhar com MDF? Que tal conferir a lista para você começar com tudo!

Iniciei na marcenaria a 60 anos e todo início é complicado, mas não desisti!  Neste texto, quero dividir com vocês meus erros e acertos em relação ao uso de ferramentas.

É normal gastar fortunas com máquinas, produtos e ferramentas, que as vezes, não sabemos utilizar.

Vamos iniciar uma série de matérias para clarear as ideias em relação as ferramentas, itens e máquinas de cada segmento de marcenaria. A princípio, vamos bater um papo sobre a marcenaria focada em MDF.

Sabemos que todo início é difícil, em qualquer profissão, por outro lado, escolhendo as ferramentas corretas você poupará tempo e custo, da mesma forma, que evitará dar um passo maior que a sua perna.

Primeiramente, tenha em mente que antes de comprar qualquer ferramenta, é necessário analisar o espaço físico disponível.

Antes de mais nada, defina o local onde será a sua marcenaria, bem como, onde será o compartimento de suas ferramentas e, principalmente, qual será o segmento você irá trabalhar?

Sim, qual segmento?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O assunto “marcenaria” é muito amplo. Portanto, hoje iremos bater um papo sobre as ferramentas básicas e itens indispensáveis para a marcenaria focada em MDF.

O MDF é extremamente versátil, de fato,  é um substrato que pode ser utilizado em diversos segmentos, ele disponibiliza um leque de opções para você.

Quem trabalha com MDF tem diferencial em função de sua ampla capacidade de utilização. O MDF é fruto de uma marcenaria relativamente contemporânea.

O Medium density fiberboard – MDF, é uma aglutinação de fibra de madeira sintética e outros aditivos. Um substrato com propriedades semelhantes a madeira maciça. Criado nos Estados Unidos na década de 60.

No Brasil, a cada dia que passa, o MDF vem ganhando mais espaço, visibilidade e conquistando novos adeptos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                   

Vamos bater um papo sobre as ferramentas e itens que para mim são pertinentes para quem está iniciando na marcenaria e/ou vai trabalhar com MDF.

Arco  de serra:

Utilizado para corte de metais ferrosos e não ferrosos, pregos e pinos metálicos.

Alicate universal:

Existem milhares de tipos de alicates no mercado, sendo assim,  indico que você inicie com o alicate universal, devido a sua praticidade e variadas formas de uso.

Brocas:

  • Brocas chatas para furos de grande diâmetro.
  • Broca de três pontas para furos com precisão.
  • Brocas  de aço rápido, para uso em diversos substratos.

Dentre os variados modelos de brocas no mercado, procure brocas direcionadas para madeira.

Principais medidas para brocas de três pontas: 06/8/10/12/16

Principais medidas para brocas de aço rápido: 1.5/2/3/3.5/4/4.6/5/5.5/6/6.5

Principais medidas para brocas chatas: 10/12/16/18/20/25

 Chave de fenda e chave Philips:

Existem profundidades, cantos e espaços que as parafusadeiras não chegam, acho muito pertinente a presença destas ferramentas na marcenaria. Elas garantem uma fixação eficaz para as peças.

Estilete:

Ele é o substituto do antigo canivete de folha, muito utilizado, versátil!

Furadeira:

Esta ferramenta será muito utilizada, lembre-se de adquiri-la de uma marca conhecida.

Observações referente ao mandril:

O mandril é onde sua broca será fixada na parafusadeira.

Os mandris com maior facilidade de fixação da broca são os mandris de aperto rápido, porém as furadeiras de uso profissional usamos o sistema de aperto com chave de mandril.

Lápis comum:

Lápis comum com grafite redonda, é interessante acrescentar que muitos marceneiros estão utilizando lapiseira com grafite 0.7, devido a precisão do traço na hora do corte.

Lixa convencional / uso manual:

Antes de lixar, devemos realizar a limpeza na superfície, principalmente no MDF cru.

Metro ou trena:

Hoje tudo é bem diferente, as ferramentas se modernizaram bastante, existem trenas a laser, que medem o ambiente e existem ainda as convencionais.

O metro é muito utilizado na medição de superfícies planas, onde a rigidez é necessária.

Martelo:

O martelo mais utilizado neste modelo de marcenaria é o martelo de borracha, utilizado na instalação de dispositivos de acabamento em alumínio e outros dispositivos de encaixe.

Parafusadeira:

O manuseio da ferramenta deve ser feito de forma onde a ponta esteja na mesma direção do parafuso que será fixado. E o esforço a ser empregado deve ser compatível com o tamanho do parafuso e superfície a ser fixada.

Parafusos diversos:

Existem variadas medidas de diâmetro, mas fica a dica:

Parafusos mais comuns:

3,5×20;

4,5×50;

4,0×40;

3,5×35;

3,5×16.

Parafusos de cabeças retas e chanfrados são os mais indicados para  trabalhar com MDF.

Régua de aço:

Cria medidas precisas e pontuais, garante consistência para o projeto.

Serra tico-tico:   

Indico que utilize a lâmina especifica para trabalho com MDF.

  • Lâminas curtas para madeira de menor espessura.
  • Lâminas longas para madeira com maior espessura
  • Dentes pequenos devem ser compatíveis com lâminas curtas.
  • Dentes grandes devem ser compatível com as lâminas longas.

                                                              

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Opções de Máquinas para corte em MDF:

Serra circular manual:

É uma ferramenta de corte utilizada quando à impossibilidade de corte na ferramenta estacionária. Dessa forma, pode ser levada para qualquer ambiente.

Serra circular estacionária:

Utilizada quando o material pode ser transportado até a máquina. Ela não pode esquadrejar.

Serra esquadrejadeira:

Esta máquina é o sonho de consumo de 100 a cada 100 marceneiros… Ela é extremamente produtiva, desde que seja utilizada a serra compatível com matéria prima a ser cortada.

Portanto a quantidade e o desenho dos dentes da serra determinarão a produtividade que o profissional precisa.  Desta forma, podemos dizer que, dentre as três, é a de valor mais elevado.

Pensando em investimento, indico que você inicie com uma serra circular estacionária, e tenha uma serra manual caso precise realizar projetos em outros ambientes. Mas… se você pode investir, tem capital, compre uma serra esquadrejadeira, pois ela é, definitivamente, uma ferramenta fantástica.

Acabamentos específicos:

Tupia:

À primeira vista, adquirir os três principais tipos de tupias, seria o melhor dos mundos. Logo, para iniciantes, indico a tupia de coluna, pois possui vários acessórios, e você já adquire de uma só vez um equipamento eficiente!

  • Estacionária, para usos externos, painéis planos.
  • Tupia de coluna, possui mais acessórios (fresas), variadas possibilidades de acabamentos e usinagens.
  • Tupia para laminados, é uma versão de menor potência e tamanho, onde é utilizada para acabamentos de laminados e acabamentos diversos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Itens indispensáveis e espaço físico:

Tenha em mente que é necessário observar a circulação do ar, iluminação, temperatura ambiente, ruídos e espaços para circulação.

Boa iluminação:

Uma boa iluminação não apenas faz diferença na visualização dos detalhes no projeto, ela também coopera com as normas regulamentares referente a iluminação na marcenaria.

Iluminação mínima pode ser 15W por metro².

Coletor de pó:

Necessário observar o espaço físico do local, tamanho e quantidade de máquinas, pois existem coletores de pó dos mais diversos modelos. Este investimento traz melhorias em relação a saúde de todos aqueles que frequentam ou trabalham na marcenaria.

As resinas que certos tipos de madeiras possuem, ocasionam problemas respiratórios por conta da falta de utilização do E.P.I, uma vez que, poucos se atentam para isso.

O coletor de pó é uma solução que irá fornecer a sua marcenaria adequação referente as normas regulamentares pertinentes a qualidade do ar. NR 15/anexo 12.

Bancada:

Para lidar com qualquer tipo de madeira é necessário utilizar uma bancada que suporte a pressão, não é uma mesa de cozinha, é uma BANCADA construída para utilização na marcenaria.

Caro amigo marceneiro, seja em uma garagem ou um pequeno salão, pensar no espaço e no layout para guardar suas ferramentas é imprescindível.

 

lembrando, fiz uma matéria falando sobre o layout na marcenaria, vale a pena dar uma conferida para clarear as ideias. Link: https://bit.ly/2LM7K9H.

                 

Uma dica interessante para organizar as ferramentas é criar um mural na parede ou construir um armário específico para guarda-las.

Para as ferramentas que não indiquei acima, existe uma fórmula muito interessante para quem está iniciando no universo da marcenaria:

Marca conhecida + modelo básico

As marcas, a cada dia, investem pesado na tecnologia e existem tantos modelos incríveis… é de cair o queixo…

Mas lembre-se, comece pelo básico.

                             

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Grandes projetos exigem grandes investimentos. Sendo assim, já sabemos que adquirir conhecimento possibilita que você entre para um novo mercado de trabalho, definitivamente, um novo ramo!

Primeiramente, tenha bom senso, o marceneiro consciente vale mais que uma equipe mal-intencionada…

Ao passar na sua loja para comprar ferramentas, aconselho comprar também EPI’s. Postei uma matéria muito legal aqui no blog falando sobre equipamento de proteção individual na marcenaria, não deixe de conferir…  EPI na marcenaria: equipamento de segurança em nossas mãos

 

Compartilhe com aquele amigo novato no ramo, ele vai te agradecer!

Você consegue melhorar essa lista? Curta!! compartilhe!! Comente!!  

 

 

 

Marceneiro Microempreendedor Individual MEI

Você sabe o que é ser um marceneiro MEI?

Caro amigo marceneiro essa matéria é para você que nos dias atuais gostaria de entender como legalizar seu negócio e se tornar um marceneiro MEI, ou um Micro Empreendedor Individual.

Para alguns é algo de outro mundo, altamente burocrático…

Seja você um marceneiro hobbysta ou um profissional liberal, existe uma regulamentação que oferece algumas vantagens em relação a profissão.

Em suma, antigamente tudo era bem exclusivo, só empresas grandes solicitavam empréstimos com maior facilidade, tinham CNPJ, contratavam e etc…

Mas hoje as coisas mudaram, você pode ter uma pequena marcenaria, ou mesmo prestar serviços, e ser um microempreendedor individual reconhecido como uma pequena organização.

Organizei vários pontos importantes nessa matéria, de forma simples e prática.

Veremos hoje como funciona tal regulamentação e você vai avaliar se é  ou não vantajoso.

Sobre tudo, tenha em mente que ser um marceneiro MEI é um processo de regulamentação.

Se você é marceneiro profissional liberal, possui uma pequena marcenaria e quer expandir, emitir notas fiscais, conseguir empréstimos e ter direito a aposentadoria…

Tornar-se um marceneiro MEI (microempreendedor individual) possa ser uma alternativa interessante.

O que é MEI?

Visto que, é uma plataforma de empreendedorismo sem burocracia. A Forma mais ágil de regulamentar o trabalhador autônomo.

A Proposta do MEI é tirar o trabalhador da irregularidade, formalizando sua situação junto ao governo e criando assim vantagens para esse pequeno empresário.

VALE A PENA SER UM MARCENEIRO MEI?

Vantagens em ser um marceneiro MEI:

  • Ter um CNPJ;
  • Direito de contratação;
  • Legalização;
  • Benefícios previdenciários;
  • Isenção de impostos;
  • Descontos tributários;
  • Facilidades para obter empréstimos:
  • Emitir contratos e notas fiscais;
  • Licença maternidade;
  • Auxilio Doença;
  • Aposentadoria.

Em virtude da falta de informação acerca da proposta, é comum o marceneiro não entender e diversas vezes não conhecer o programa. Muitos iniciam na profissão com pequenos serviços, e a medida que crescem, permanecem na irregularidade.

Em síntese tenha em mente:

  • Para um marceneiro se tonar MEI é necessário ter lucro inferior a R$81’000,00/ ano ou R$6’750,00/ mês;
  • Não ser sócio ou titular de nenhuma empresa, possuir no máximo 1 funcionário;
  • Atuar em uma atividade descrita no anexo XIII da Resolução nº 94/2011, que conta as atividades permitidas para (http://www.portaldoempreendedor.gov.br/);
  • O cadastro é realizado via internet.

                                                                                                                                                             Passo a passo no caso de Marcenaria:

  • Primeiramente, o marceneiro deve providenciar o alvará de funcionamento da marcenaria junto a prefeitura de sua cidade, e conferir qual o tamanho do seu negócio, adequando assim as especificações da prefeitura;
  • Entrar no portal e realizar o cadastro com RG, CPF, título de eleitor e a declaração anual de imposto de renda e (inserir ocupação de marceneiro);
  • O empreendedor deve ter em mente que terá que arcar com custos mensais. E terá que imprimir a DAS (carnê).

Pagamento mensal:

R$ 47,70 (INSS)+ R$ 5,00(ISS) + R$ 1,00 (previdência)= R$53,70(DAS).

Embora ser um marceneiro MEI, traga vantagens, bem como possa trazer desvantagens para alguns…

 Desvantagens em ser um marceneiro MEI:

  • Limite de funcionários – Apenas 1 colaborador, para algumas marcenarias é muito pouco;
  • Aposentadoria limitada;
  • Custo para fechar empresa, se caso queira cancelar o MEI;
  • Custo fixo – Independente de lucro de sua marcenaria, o pagamento sempre existirá(R$53,70), ao contrário de trabalhar com regime CLT. Pois tais regimes não obrigam o pagamento dependendo da situação de lucro.
  • Limite de expansão – Dependendo do crescimento, o marceneiro MEI no futuro terá que migrar para outro regime, que se alinhe a sua situação vigente. Nessa mudança surgira outro valor de contribuição e outras especificações

Mas é interessante ter em mente que isso não é uma regra. Pois quem vai avaliar o melhor modelo de empresa ou serviço é você, amigo marceneiro.

Portanto no portal do empreendedor encontra-se as especificações detalhadamente, não deixe de conferir.

http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/Busca?q=MEI

O assunto é polêmico não deixe de dar sua opinião a respeito!

EPI na marcenaria: equipamento de segurança em nossas mãos

É necessário ser consciente quanto a utilização destes equipamentos, para manter um ritmo de trabalho seguro e saudável.

Exposta a diversos riscos, nossa profissão exige segurança e cuidados especiais, como o uso de Equipamentos de Proteção Individual, os EPI´s.

Em todo e qualquer segmento que manuseia maquinário pesado, como na marcenaria, EPI é essencial!

Eles garantem a integridade, saúde e preservação da segurança do funcionário é prioridade.

Os EPI´s nada mais são do que equipamentos de proteção individual, que devem ser utilizados pelos trabalhadores a fim de lhes proteger dos riscos de acidentes de trabalho.

Estes equipamentos são obrigatórios por lei e exigidos em todos os estabelecimentos onde há prática de atividades de marceneiro.

Os Equipamentos de Proteção Individual, primeiramente, devem ser entregues pelos empregadores em ótimo estado de conservação e funcionamento, sem nenhum custo adicional aos empregados.

É comum se deparar com alguns descuidos operacionais.

Empresários e os próprios colaboradores acabam ignorando as NR’s – normas regulamentadoras, acarretando prejuízos a saúde e financeiros.

A segurança em primeiro lugar

A CIPA – Comissão Interna de Prevenção a Acidentes é o órgão responsável pela mediação, averiguação e controle das medidas corretas dentro de qualquer empresa.

É uma comissão, que se encarrega, juntamente com a gestão responsável por cada departamento dentro de uma empresa.

A CIPA é responsável por disponibilizar ao trabalhador as informações e os equipamentos necessários para garantir a segurança.

Se sua marcenaria é pequena ou se você trabalha por conta própria e não disponibiliza de uma equipe especializada, o ministério do trabalho fornece material para a leitura e regularização das informações.

Cabe aos empregadores ministrar palestras e cursos e orientação.

Desta forma, eles poderão entender melhor o uso correto dos equipamentos de proteção, assim como os riscos a que estão expostos durante o exercício de sua profissão.

Fique de olho nos equipamentos indispensáveis na marcenaria:

  • Óculos:

Proteção ocular; todo equipamento de proteção ocular deve estar bem fixado no rosto do colaborador e é importante atenção a angulação dos óculos, ele não pode ficar caindo no rosto.

  • Luvas antiderrapantes de proteção:

Primeiramente, necessário ter em mente que no manuseio de qualquer tipo de serra, ou procedimento de corte, as luvas não devem ser utilizadas.

Sua utilização é apropriada para transporte de materiais e aplicação de produtos químicos.

  • Mascara descartável:

Devem ser utilizadas diariamente. Protegem de partículas de poeira e madeira.

Máscaras de carvão ativado, proporcionam maior proteção, ideal para ambientes com alto grau de insalubridade.

  • Protetor auditivo:

O ministério do trabalho expõe exigências primordiais em relação aos parâmetros de audição humana. Acima de 85 D.C, pois o colaborador fica exposto a risco de surdez gradativa.

  • Botas:

As botas podem possuir distinção de valor, devido ao material usado na fabricação. Portanto, as melhores botas são de bico de aço, oferecem maior proteção.

O que não utilizar na marcenaria?

Blusas com mangas largas dificultam o manuseio dos materiais e máquinas. Comprometendo mobilidade do trabalhador.

Alianças, anéis, relógios e pulseiras ficam de fora também. Podem atrapalhar no manuseio das maquinas.

Amigo, agora é com você!

Fica ligado no blog que em breve teremos mais dicas.